Tuesday, September 13, 2011

Ataques de onça ao ser humano são muito raros no Brasil. O caso com o maior número de referências no total de 65 entrevistas que fiz na região do Pantanal do Miranda, em 2008, foi o de um funcionário do governo que trabalhava com prevenção da malária. O caso foi citado ao todo por 7 pessoas (ver vídeo), sem referência a nenhuma data.

A onça-pintada foi considerada como uma ameaça para o ser humano em um terço das entrevistas, e apontada como perigosa apenas em determinadas situações (particularmente quando está com filhote ou se alimentando) em metade delas.

Em junho de 2008, um pescador foi atacado e parcialmente devorado por uma onça-pintada em Cáceres (MT), enquanto acampava na beira do Rio São Lourenço. Este foi o primeiro caso registrado oficialmente no Brasil pelo CENAP (ICM-Bio) de um ataque de onça-pintada a um ser humano envolvendo predação. O acontecimento foi tema de matérias de jornal e televisão na época, e sua repercussão envolveu uma série de questionamentos sobre os limites das relações entre humanos e onças.

 

Uma discussão aprofundada sobre o caso e suas umplicações na conservação da onça pode ser encontrada no artigo de Peter Crawshaw (2008):

 

http://www.oeco.com.br/peter-crawshaw/19450-oncas-e-gente-ii-piores-encontros